Lançado movimento #PinForPeace contra o antissemitismo

Tendo como ponto de partida as atrocidades cometidas pelo grupo terrorista Hamas em 7 de outubro e a onda crescente de ataques contra judeus em todo o mundo, um grupo composto pela empresária de moda Natalie Klein, o empresário de comunicação Alan Strozenberg, os publicitários Daniel Oksenberg e Paula Puppi e o fotógrafo Jairo Goldflus se uniu diante da inquietude e da recusa em se manterem em silêncio em meio aos discursos de ódio, da desinformação e da polarização que tomaram conta das redes sociais e das ruas.

O grupo passou então a dividir suas reflexões com pessoas próximas, abrindo conversas com o objetivo de defender a paz e combater o terrorismo e antissemitismo, dando origem ao movimento #PinForPeace.

Pins com o símbolo do movimento estão sendo distribuídos juntamente com o manifesto da campanha – divulgada massivamente em vários meios de comunicação, incluindo totens digitais, anúncios em jornais, cinemas e em redes sociais.

O fórum já conquistou aliados como os apresentadores Adriane Galisteu, Patrícia Abravanel e Luciano Huck, os empresários Marina Morena, Abílio Diniz e Valdemar Iódice, o jornalista Benjamin Back, a advisor no segmento de artes e ESG Isabella Prata, o estilista Alexandre Herchcovitch, a influencer Lalá Noleto, a drag queen Miss Samantha e o empreendedor social e chef de cozinha Edson Leite, entre outros.

Segundo Alan Strozenberg, o movimento reflete uma necessidade urgente de que indivíduos das mais diferentes camadas da sociedade entendam que é preciso levantar suas vozes em alerta às novas formas de preconceitos estruturais que persistem. “Milhões de pessoas estão machucadas, indignadas e angustiadas com a crescente onda global de antissemitismo, e também com o terrorismo. Hoje, ele está no Oriente Médio. Amanhã, pode estar em qualquer lugar do mundo. Precisamos estimular o respeito mútuo entre as pessoas e os povos, independente de suas origens e crenças, em benefício da paz”, explica o co-fundador do #PinForPeace e CEO da agência Baila.

Para Cila Schulman, apoiadora e coordenadora do movimento, conscientizar as pessoas pela não legitimação do terrorismo como manifestação política e dar voz aos que não querem silenciar diante do antissemitismo 78 anos após o fim do Holocausto é a principal missão do Movimento #PinforPeace. “É urgente combatermos a legitimação do uso do terrorismo como protesto político e começarmos a espalhar sementes de paz desde agora. A paz não é a ausência de diferenças, mas aceitar a existência uns dos outros apesar delas. A paz que buscamos é da coexistência entre povos que se reconheçam e se respeitem, sem a sombra do terror. Pelo dia em que possamos conviver em harmonia, acolhendo todas as crenças, culturas e origens étnicas. Sem medo, sem ódio”, enfatiza.

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *

Digite os caracteres da imagem no campo abaixo *